Home > Notícias > Chinesa Geely lança satélites para orientar carros autônomos
  • Notícias
  • Chinesa Geely lança satélites para orientar carros autônomos
  • Os satélites foram projetados e construídos pela própria Geely
  • Por Jorge Meditsch

    Xangai - O grupo automotivo chinês Geely realizou seu primeiro lançamento de satélites nesta quarta-feira, 1º de junho. Um total de nove unidades foram colocadas em órbita baixa sobre a Terra, componentes iniciais de uma rede de artefatos espaciais destinados a fornecer dados de navegação precisos para veículos autônomos.

    Os satélites, com a designação GeeSAT-1 foram projetados e construídos pela própria Geely e foram lançados do centro de lançamento de Xichang, na província de Sichuan, no sudoeste da China.

    A Geely quer colocar mais 63 em órbita até 2025 e planeja ter um total de 240.

    Com o lançamento, a Geely torna-se a segunda fabricante de automóveis a possuir um negócio espacial. A SpaceX, propriedade do CEO da Tesla Elon Musk, tem mais de 2 mil satélites em órbita, que formam sua rede espacial Starlink, provedora de serviços de internet. A Starlink planeja ter uma rede de 4.408 satélites.

    A Geely quer colocar mais 63 satélites em órbita até 2025 e planeja ter um total de 240

    Diferentemente da SpaceX, que usa seus próprios foguetes para lançar os satélites, a Geely utiizou um Long March 2C desenvolvido e operado por uma empresa estatal chinesa.

    Além de prover conectividade de alta velocidade e possibilitar uma navegação de alta precisão e capacidade de computação na nuvem para futuros veículos, o network da Geely poderá ser usado para outras funções comerciais, como o fornecimento de serviços de comunicação nos próximos Asian Games, em setembro.

    Os satélites têm uma vida útil prevista de cinco anos, ao final dos quais irão se desintegrar na atmosfera terrestre sem deixar resíduos espaciais.

    As redes de satélites chinesas são controladas majoritariamente pelas forças armadas, mas o governo vem permitindo investimentos privados na indústria espacial desde 2014.

    No seu último plano plurianual, para 2021-2025, o governo de Beijing previu uma rede integrada de satélites para comunicações, sensoriamento remoto e navegação. Atualmente, a China tem mais de 400 satélites em órbita, entre eles alguns de propriedade privada.

    Informações: Automotive News China

    Publicado em 02/06/2022

    -


    Copyright © 2014 - Autoestrada.com.br - todos os direitos reservados